MILAGRE NA COVA DOS LEÕES

09
dez

MILAGRE NA COVA DOS LEÕES
Daniel 6
Você pode contar sempre com a presença de Deus? Você conta com ela mesmo nos
momentos mais difíceis? Ou será que você só pensa em aproximar-se de Deus nos
momentos em que precisa dele de algum modo? A verdade é que costumamos
demonstrar diferentes comportamentos na questão de nossa comunhão com Deus.
O milagre de livrar Daniel da boca dos leões nos ensina que Deus está sempre
presente com os seus; está sempre junto deles. Nosso Pai está sempre guiando e
cuidando de seus filhos. Mas devemos considerar aqui que a comunhão com Deus
em todo o tempo permite que nos sintamos mais firmes em momentos de dificuldades,
de tribulação, pois sabemos que Deus está conosco. Vemos que Daniel buscava
manter comunhão constante com Deus.
1 – COMUNHÃO COM DEUS ANTES DA DIFICULDADE
Daniel já estava mais idoso quando estava prestes a ser lançado na cova dos leões.
Ele tinha o costume de orar a Deus voltado para Jerusalém três vezes ao dia. O verso
10 diz que ele “dava graças diante do seu Deus, como costumava fazer.
O fato de os outros presidentes e também os sátrapas (vice-reis) terem convencido o
rei Dario a decretar que ninguém poderia fazer petição a nenhum outro deus, mas
somente ao rei, com a intenção de prejudicá-lo, não fez com que Daniel se afastasse
de seus momentos de comunhão com Deus. Ele buscava a Deus sempre e sabia da
importância disso para sua vida e não seria infiel num momento de dificuldade.
O que queremos destacar é que Daniel não deixou para buscar a Deus no momento
da crise, da tribulação, mas buscava-o sempre. Nossa comunhão com Deus também
deve ser constante. Deus nos ensina a buscá-lo de todo o coração: “Buscar-me-eis e
me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração” (Jr 29.13). Como chamar
a Jesus de Senhor de nossa vida e não buscá-lo? Como afirmar que o amamos se
não procuramos nos aproximar dele por meio da oração e do estudo de sua Palavra?
Quando mantemos certa distância de Deus, enfraquecemos espiritualmente,
perdemos a direção. Não conseguimos mais distinguir o certo do errado e nossos
valores vão se perdendo, nossa moral cai e como um “abismo chama outro abismo”
(SI 42.7) nos vemos cada vez mais distantes daquele que afirmamos ser nosso
Senhor e Salvador. Daniel estava próximo dele e fortalecido por ele para enfrentar o
difícil momento que estava por vir.
2 – COMUNHÃO COM DEUS NO MOMENTO DA DIFICULDADE
Ser lançado numa cova de leões é uma situação desesperadora para qualquer um. É
ser lançado para uma morte terrível. Quem gostaria de virar comida de leão? Mesmo
assim, Daniel manteve-se inabalável. Sua comunhão com Deus era demonstrada
também nesse momento de dificuldade.
O rei Dario, apesar de se dar conta de que tudo era uma armação dos outros
governantes para prejudicar Daniel, do qual tinham inveja, não podia revogar seu
decreto e tinha que fazer com que ele se cumprisse. Daniel seria lançado na cova dos
leões por ter orado a Deus quando isso não era permitido devido ao decreto do re1

Podemos nos lembrar aqui das palavras do apóstolo Pedro ao ser lembrado de que
fora proibido de pregar o evangelho: “Antes, importa obedecer a Deus do que aos
homens” (At 5.29). Daniel mantinha comunhão com Deus e preferiu obedecê-lo,
mesmo que tivesse que enfrentar a cova dos leões. Não temos o relato de sequer um
lamento seu. Ele passa pelo momento de tribulação confiado em Deus.
E bastante provável que você já tenha passado por momentos difíceis em sua vida;
talvez não tão dramáticos como o que aconteceu com Daniel, mas viu-se angustiado e
sofrendo e sem encontrar saída da situação. Como é bom poder contar nesses
momentos com o amparo que somente Deus pode nos dar.
Orar a ele pedindo que nos oriente e receber a iluminação do Espírito Santo para
saber que caminho seguir. Quão bom é ter Jesus ao nosso lado, tendo em mente a
sua promessa: “eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século”
(Mt 28.20).
Deus livrou Daniel da morte. Na manhã seguinte, do dia em que Daniel foi jogado aos
leões, o rei Dario levantou-se e foi correndo à cova dos leões. Chegando lá, ele
chamou por Daniel com voz triste: “Daniel, servo do Deus vivo! Dar-se-ia o caso que o
teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões?” (Dn
6.20)
E Daniel respondeu: “O rei, vive eternamente! O meu Deus enviou o seu anjo e fechou
a boca aos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim
inocência diante dele; também contra ti, ó rei, não cometi delito algum” (Dn 6.21,22).
Deus fechou a boca dos leões e Daniel foi salvo. Desta forma Deus mostrou às
pessoas que ele estava com Daniel.
Ficou evidente aos olhos de todos que o Deus de Daniel é poderoso e que ele cuida
dos seus servos, que é um Deus de amor.
A glória de Deus foi manifesta por meio de sua ação sobrenatural e o rei Dario
reconheceu que o Deus de Daniel era o “Deus vivo e que permanece para sempre”, e
proclamou a todas as nações que reconhecessem isso.
3 – COMUNHÃO QUE RESULTA EM BÊNÇÃO
Na verdade, estar em comunhão com Deus é uma bênção constante. Quanto mais
nos aproximamos dele mais desfrutamos de bênçãos. Daniel já era abençoado por
manter comunhão com Deus antes da dificuldade, foi abençoado também durante a
tribulação e seria ainda mais agraciado depois disso.
Os inimigos de Daniel pagaram com a própria vida e com as de suas famílias por
terem armado a cilada para ele. Eles foram jogados na cova dos leões e dessa vez as
feras não esperavam sequer que eles tocassem no solo e já os devoraram.
Os inimigos de Daniel foram destruídos. Além da bênção de sair ileso da cova dos
leões e de saber que seus inimigos não poderiam fazer mais nada contra ele, o último
verso do capítulo 6 diz que Daniel “prosperou no reinado de Dario e no de Ciro, o
persa”. A comunhão que Daniel mantinha com Deus resultou em bênção.

É importante não confundir a comunhão com Deus com uma relação de troca:
buscamos a Deus e ele tem que nos abençoar.
A bênção de Deus sobre nossa vida se manifesta de diversas maneiras, a ponto de
até não conseguirmos entendê-las corretamente algumas vezes; mas temos a certeza
de que “todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm
8.28).
Será que temos buscado realmente a Deus e, assim, desfrutado das bênçãos que a
comunhão com ele nos traz?
Aplicação
Momentos difíceis sempre surgem em nossa vida. Devemos estar preparados para
eles. A comunhão que Daniel tinha com Deus permitiu que ele passasse pelo
momento de dificuldade com tranquilidade, pois sabia que Deus estava com ele.
Como podemos melhorar nossa comunhão com Deus? Como agir quando as
dificuldades se apresentam? Como reconhecer as bênçãos que nos são concedidas
dia a dia? Essas são perguntas que devemos nos fazer após o estudo desta lição.
Esperamos que a ação sobrenatural de Deus ao livrar Daniel das garras dos leões nos
ensine a buscá-lo e a contar com ele em todos os momentos de nossa vida.
AUTOR: MARCELO SMEETS

Leave a Comment